Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Muralhas’

Essa viagem foi especial. Estava curiosa para conhecer  Québec, a província francesa do Canadá. E a primeira imagem que lembramos é a do “castelo”, cartão postal da cidade!

É  interessante conhecer algumas curiosidades sobre a Ville de Québec:

Lema: Don de Dieu feray valor ( Devo colocar o dom de Deus em bom uso).

Le Québec ou Québec  = refere-se  a província.

Ville de Québec  =  a cidade ( Quebec City  em inglês)

Povos que habitavam a região: algonquinos e iroqueses.

É a cidade mais antiga do Canadá.

Os residentes são chamados de: Québécois (homem) or Québécoise (mulher).

Compras: o imposto é de  5% TPS + 9% TVQ.

Exemplo: compra de $23  -> TPS $1,15 + TVQ $2,29. Total: $26,44

Em algumas  lojas o vendedor já  inclui o imposto no valor da compra. É bom perguntar antes.

Principais atrações turísticas da cidade:

O Château Frontenac –  um hotel belíssimo,   que lembra os castelos franceses;

O Morro do Parlamento, onde está localizada a Assembleia Nacional de Quebec;

A Citadelle e as muralhas, que fazem parte da antiga Quebec;

A Catedral  Notre-Dame de Québec (Nossa Senhora de Quebec);

A Catedral Anglicana da Santíssima Trindade;

O Hotel de Gelo (Hôtel de Glace);

Foto: hoteldeglace-canada.com

Museus, parques, jardins, arquitetura;

Grandes avenidas e ruas com muitas lojas e restaurantes;

Passeio  de ferry, pelo Rio São Lourenço,  até Lévis;

Cataratas de Montmorency – distante 10 km do centro da cidade, tem 83 metros de altura, sendo maior que as Cataratas do Niágara .

Basílica de Santa Ana de Beaupré, situada na localidade de Sainte-Anne-de-Beaupré, um pouco afastada da cidade.

Mais detalhes nos próximos posts.

Au revoir!

Read Full Post »

Aguardem  os próximos  posts! Tem  muita informação e fotos  sobre Quebec  e suas atrações.

Tem até Cirque du Soleil… FREE!  Quer saber mais, acompanhe o Ginapsi!

Talvez você se interesse por   castelos…

Ou muralhas…

Quem sabe voltar ao passado  descobrindo como viviam os pioneiros… Que tal passar uma tarde em Black Creek Pioneer Village, bem no meio da cidade de Toronto?

Tem muito mais nos próximos posts!

Read Full Post »

Quando viajei para Lisboa fui convidada  a conhecer Évora, uma cidade que se destaca  pela sua história, arquitetura, universidade, artesanato e belas paisagens.

O mapa destaca o roteiro da parte antiga da  cidade.

Mapa: portugal-hotels.com

Na Praça do Giraldo os prédios e suas arcadas são testemunho do passado. Abrigam tanto da chuva quanto do Sol, encontram-se algumas lojas, cafés onde se pode saborear as queijadinhas de Évora, como o Café Arcada. Nessa praça desembocam 8 ruas.

Évora é a Capital do Alantejo. Possui um Centro Histórico bem preservado, com casario branco,  ruaelas estreitas, as arcadas em estilo árabe e as muralhas medievais e românicas são um convite para o visitante.

A cidade é aconchegante e alegre. A Universidade de Évora atrai jovens  de várias partes e uma infinidade de licenciaturas. Arquitetura, Arquitetura Paisagista, Artes Visuais, Física, Química, História, Educação, Engenharia (Mecatrônica, Civil, Química, Energias Renováveis, Agrícola, Alimentar), Sociologia, Medicina Veterinária, entre outras.

Claustros da Universidade de Évora.

Foto: http://clientes.netvisao.pt

O centro da cidade foi declarado  Patrimônio Mundial pela UNESCO, em 1986.

Os principais pontos de interesse em Évora são: o Templo Romano, a Sé Catedral, a Igreja de São Francisco e a Capela dos Ossos, o Palácio de D. Manuel, o Convento dos Lóios, a Praça do Giraldo, as Muralhas  antigas, mas o turista vai  descobrir que Évora tem muito mais. Andando pelas ruas estreitas deslumbram-se casários, praças, fontes e jardins fantásticos.

Palácio D. Manuel ou Paço Real de São Francisco – foi construído no Séc XVI  pela dinastia de Avis, em estilo gótico-manuelino-mujedar e da renascença.

Arqueduto

Palácio das Cinco Quinas ou Palácio da Casa de Cadaval

A cidade está situada numa planície a uma distancia de cerca de 130 km de Lisboa.

Catedral ou Sé de Évora- em estilo romano gótico, com três naves.

A cidade foi habitada no tempo dos romanos, tendo sido chamada Liberalitas Julia, e deste período restam inúmeros vestígios dos quais se destaca o templo romano conhecido por ”Templo de Diana”.

Capela dos Ossos, na Igreja de São Francisco .

Igreja de S. Francisco –  com arquitetura gótico-manuelina, foi  construída entre 1480 e 1510.

Ano Internacional do Planeta Terra

Ermida São Brás – fundada em 1483 pelo rei D. João II e o bispo de Évora D. Garcia de Menezes.

Fonte: http://clientes.netvisao.pt

 

Essa é Évora! Que encanta a quem a visita. Visite os post sobre esssa jóia do período medieval.

Até breve.

Read Full Post »

Continuando a viagem por Lisboa chegamos ao Castelo São Jorge.

O Castelo de São Jorge está localizado na freguesia do Castelo, na cidade, concelho e Distrito de Lisboa, em Portugal  .

O Castelo de São Jorge é um sítio encantado, uma encantadora cidadela onde ainda se encontram gansos e patos a passear pelos jardins do castelo. Em tempos usado como fortaleza, é hoje casa de muitas famílias e é com certeza um local a não perder!

Conquistado aos Mouros em 1147, o Castelo de São Jorge estende-se por uma área de aproximadamente 6000 metros quadrados, incluindo diversas torres, vigias, um fosso (agora seco) e duas praças divididas por uma muralha interior, mas com uma porta comunicante.

Do alto tem-se uma vista panorâmica da cidade .

Primitivamente conhecido simplesmente como Castelo dos Mouros, ergue-se em posição dominante sobre a mais alta colina do centro histórico, proporcionando aos visitantes uma das mais belas vistas sobre a cidade e o estuário do Rio Tejo.

Os visitantes podem subir às torres, passear pelas plataformas das muralhas e deliciar-se com as espectaculares vistas sobre Lisboa e o Rio Tejo, enquanto os residentes desta pitoresca zona de Lisboa passam o seu tempo a jogar às cartas debaixo das árvores.

A partir do Séc. XIII , alçando-se Lisboa a Capital do reino (1255), o castelo conheceu o seu apogeu, quando foi, além de Paço Real, o chamado Paço da Alcáçova, palácio de bispos, albergue de nobres da Corte e fortificação militar. Os terramotos que afetaram a cidade em  1290, 1344 e 1356, causaram-lhe danos.

Nas funções de Paço Real, foi palco da recepção a Vasco da Gama,   após a  descoberta do caminho marítimo para a Índia, no final do Séc. XV, e da estreia, no Séc. XVI , do Monólogo do Vaqueiro, de Gil Vicente, primeira peça de teatro português, comemorativa do nascimento de D. João III  (1521-1557).

Algo a não perder neste castelo é a Casa Ogival, com os seus cinco arcos ogivais, onde pode ver a porta do século XVII que fazia a ligação às prisões outrora existentes aqui.
A simbiose entre o castelo e a paisagem não podia ser mais perfeita. Devido ao seu passado histórico e às fascinantes vistas que oferece, este é o local ideal para uma tarde bem passada!

O castelo defende a antiga cidadela islâmica, o Alcazar , abrindo-se nos seus muros com ameias   doze portões, sete dos quais para o lado da freguesia da Santa Cruz do Castelo. Para o exterior, um pano de muralha  dá acesso a uma torre barbacã . Dezoito torres dão sustentação e reforço aos muros. Pelo Portão Sul, através da Rua de Santa Cruz do Castelo, acede-se à Praça de Armas.

Entre 1179 e 1183,  o castelo resistiu com sucesso às forças muçulmanas que assolaram a região entre Lisboa e Santarém.

Classificado como Monumento Nacional por Decreto de 16 de junho de 1910 , sofreu importantes intervenções de restauro na década de 1940   e no final da década de 1990, que tiveram o mérito de reabilitar o monumento, recuperando-lhe a traça medieval. Atualmente constitui-se num dos locais mais visitados pelos turistas  na cidade de Lisboa.

O monumento oferece ainda os jardins e miradouros (com destaque para a Praça de Armas com a estátua de D. Afonso Henriques), o castelejo, a cidadela e a esplanada, um espectáculo multimédia (Olisipónia), uma câmara escura (Torre de Ulisses, antiga Torre do Tombo), espaço de exposições, sala de reuniões/recepções (Casa do Governador) e loja temática aos seus visitantes.

A entrada no castelo é gratuita para os moradores do concelho de Lisboa. Para os restantes visitantes custa 7 euros.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org

http://www.strawberryworld-lisbon.com

Como chegar:

Castelo de São Jorge
Localização: Rua do Chão da Feira
Linha de Ônibus: 37
Linha de Bonde: 28, a partir da Baixa.
Horário: Diariamente das 9h às 23hs

Horário de visitação:

1 Novembro a 28 Fevereiro | 9h00 – 18h00
1 Março a 31 Outubro | 9h00 – 21h00

* Última entrada 30 minutos antes do horário de encerrament0.

Ingressos com Reduções:

Sénior > 65 anos | Mayor > 65 anõs | Senior > 65 years old – 3,50 €
Família incluindo < 18 anos | Familias incluso < 18 años | Families including < 18 years old – 3,50 €
Pessoas com deficiência | Persona con discapacidad | Disabled person – 3,50 €
LX Card – 4,90 €
Carris Tour – 4,90 €
CityLine – 4,90 €
Cityrama – 4,90 €

 

VISITAS GUIADAS:

À Descoberta do Castelo

Castelejo | Núcleo Arqueológico | Núcleo Museológico

De 2ª feira a Domingo | às 12h00 e às 16h00
Gratuito | Público em geral | Duração de 1h30
PT | EN | ES

Visita orientada que visa  conhecer o patrimônio do monumento, as suas vivências históricas, características arquitetônicas e coleções.

Mínimo 10 participantes.

Lisboa Vista ao Espelho

Periscópio – Torre de Ulisses

De 2ª feira a Domingo | das 9h00 às 17h00
Gratuito | Público em geral | Duração de 20 min
PT | EN | ES

Apresentação de Lisboa em tempo real no Periscópio – Torre de Ulisses, conduzindo o visitante por diferentes olhares sobre a cidade, os seus monumentos e zonas mais emblemáticas, em sessões contínuas de meia em meia hora. Sujeito às condições meteorológicas.

Fonte:   http://www.castelodesaojorge.pt

Read Full Post »

Nas minhas andanças por Évora encontrei construções erguidas pelos romanos há cerca de 1800 anos, como a “Porta do Talho do Mouro” hoje chamada de Porta de D.Isabel. Essa era uma das principais portas da cidade situada nas muralhas que os romanos construíram para proteger  Évora: a Cerca Velha. Junto à porta nota-se um empedrado que servia de estrada para os romanos. Em meados do Séc XII tropas árabes venceram a resistência dessa muralha e tomaram a cidade.

Num outro ponto do passeio conheci a Igreja de S. Francisco construída há  mais de 500 anos. Na entrada da igreja pode-se ver a esfera armilar, emblema do rei D. Manoel,  e símbolo da expansão portuguesa na época dos descobrimentos. Nessa igreja os reis portugueses e a sua família assistiam à missa quando visitavam Évora. Ao lado da igreja, no claustro,  foi construído um palácio, os Paços Reais. Lá passaram temporadas e realizaram cerimônias importantes como o casamento do príncipe Afonso, filho de D. João II, e uma princesa espanhola. Por alí passou também Vasco da Gama para receber o cargo de comandante da frota que partiu para as Índias.

Continuando o passeio pelas ruas estreitas da antiga Évora encontrei a Igreja da Graça. Nomes como o arquiteto Miguel de Arruda e o célebre escultor francês Nicolau de Chanterene deixaram suas marcas nesse importante monumento renascentista. Na entrada, acima da porta, estão 4 estátuas chamadas “meninos da Graça” e carregam às costas as quatro partes do mundo representando os lugares onde os portugueses chegaram. O rei D. João III mandou escrever, à imitação dos antigos romanos, o título de Pai da Pátria.

As Muralhas de Évora

Até o próximo post.

Read Full Post »