Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Évora’

Quero agradecer a todos os visitantes do Ginapsi e, em  especial, aos portugueses que ocupam a primeira colocação em número de visitantes a  este  blog.

Eu amo Portugal  e fico muito contente que meus posts sejam tão bem recebidos por lá. Sempre desejei conhecer a terra do meu avô materno,  o Sr. José Antônio Rodrigues Júnior, carpinteiro, natural de Ilhavo-Aveiro. Por isso fui conhecer as  terras lusitanas.

O post mais visitado é o Zoológico de Lisboa. Em quase todos os países por onde andei  fiz questão de visitar o Zoo. Tenho um apego pelos animais e gosto de saber quando eles são bem tratados.

O teleférico do Zoo de Lisboa proporciona uma visão espetacular de toda a área.

Foto: Tuválkin @ Flickr

Espero que este blog, além de  distrair, sirva para trazer informações úteis aos viajantes e incentivem outras pessoas a viajar. Com uma renda curta, muito planejamento  e cia low  cost, me aventuro pelo mundo. Viajar é bom demais!

Até mais …

Read Full Post »

Quando viajei para Lisboa fui convidada  a conhecer Évora, uma cidade que se destaca  pela sua história, arquitetura, universidade, artesanato e belas paisagens.

O mapa destaca o roteiro da parte antiga da  cidade.

Mapa: portugal-hotels.com

Na Praça do Giraldo os prédios e suas arcadas são testemunho do passado. Abrigam tanto da chuva quanto do Sol, encontram-se algumas lojas, cafés onde se pode saborear as queijadinhas de Évora, como o Café Arcada. Nessa praça desembocam 8 ruas.

Évora é a Capital do Alantejo. Possui um Centro Histórico bem preservado, com casario branco,  ruaelas estreitas, as arcadas em estilo árabe e as muralhas medievais e românicas são um convite para o visitante.

A cidade é aconchegante e alegre. A Universidade de Évora atrai jovens  de várias partes e uma infinidade de licenciaturas. Arquitetura, Arquitetura Paisagista, Artes Visuais, Física, Química, História, Educação, Engenharia (Mecatrônica, Civil, Química, Energias Renováveis, Agrícola, Alimentar), Sociologia, Medicina Veterinária, entre outras.

Claustros da Universidade de Évora.

Foto: http://clientes.netvisao.pt

O centro da cidade foi declarado  Patrimônio Mundial pela UNESCO, em 1986.

Os principais pontos de interesse em Évora são: o Templo Romano, a Sé Catedral, a Igreja de São Francisco e a Capela dos Ossos, o Palácio de D. Manuel, o Convento dos Lóios, a Praça do Giraldo, as Muralhas  antigas, mas o turista vai  descobrir que Évora tem muito mais. Andando pelas ruas estreitas deslumbram-se casários, praças, fontes e jardins fantásticos.

Palácio D. Manuel ou Paço Real de São Francisco – foi construído no Séc XVI  pela dinastia de Avis, em estilo gótico-manuelino-mujedar e da renascença.

Arqueduto

Palácio das Cinco Quinas ou Palácio da Casa de Cadaval

A cidade está situada numa planície a uma distancia de cerca de 130 km de Lisboa.

Catedral ou Sé de Évora- em estilo romano gótico, com três naves.

A cidade foi habitada no tempo dos romanos, tendo sido chamada Liberalitas Julia, e deste período restam inúmeros vestígios dos quais se destaca o templo romano conhecido por ”Templo de Diana”.

Capela dos Ossos, na Igreja de São Francisco .

Igreja de S. Francisco –  com arquitetura gótico-manuelina, foi  construída entre 1480 e 1510.

Ano Internacional do Planeta Terra

Ermida São Brás – fundada em 1483 pelo rei D. João II e o bispo de Évora D. Garcia de Menezes.

Fonte: http://clientes.netvisao.pt

 

Essa é Évora! Que encanta a quem a visita. Visite os post sobre esssa jóia do período medieval.

Até breve.

Read Full Post »

Nas minhas andanças por Évora encontrei construções erguidas pelos romanos há cerca de 1800 anos, como a “Porta do Talho do Mouro” hoje chamada de Porta de D.Isabel. Essa era uma das principais portas da cidade situada nas muralhas que os romanos construíram para proteger  Évora: a Cerca Velha. Junto à porta nota-se um empedrado que servia de estrada para os romanos. Em meados do Séc XII tropas árabes venceram a resistência dessa muralha e tomaram a cidade.

Num outro ponto do passeio conheci a Igreja de S. Francisco construída há  mais de 500 anos. Na entrada da igreja pode-se ver a esfera armilar, emblema do rei D. Manoel,  e símbolo da expansão portuguesa na época dos descobrimentos. Nessa igreja os reis portugueses e a sua família assistiam à missa quando visitavam Évora. Ao lado da igreja, no claustro,  foi construído um palácio, os Paços Reais. Lá passaram temporadas e realizaram cerimônias importantes como o casamento do príncipe Afonso, filho de D. João II, e uma princesa espanhola. Por alí passou também Vasco da Gama para receber o cargo de comandante da frota que partiu para as Índias.

Continuando o passeio pelas ruas estreitas da antiga Évora encontrei a Igreja da Graça. Nomes como o arquiteto Miguel de Arruda e o célebre escultor francês Nicolau de Chanterene deixaram suas marcas nesse importante monumento renascentista. Na entrada, acima da porta, estão 4 estátuas chamadas “meninos da Graça” e carregam às costas as quatro partes do mundo representando os lugares onde os portugueses chegaram. O rei D. João III mandou escrever, à imitação dos antigos romanos, o título de Pai da Pátria.

As Muralhas de Évora

Até o próximo post.

Read Full Post »

Continuando  nossa visita por Évora vamos conhecer a Praça do Giraldo.

A cidade cresceu ao longo da Idade Média, cercada pela muralha romana que não conseguia mais proteger a cidade das invasões. Outra muralha foi construída para defender os novos bairros (arrabaldes), no tempo do rei D. Fernando, no Século XIV. Surgiu então a Praça do Giraldo. Era nesse lugar que inicialmente fazia-se a primeira feira da cidade, ainda no tempo do rei D. Dinis (final do Séc. XIII e início do Séc. XIV).

Com o passar dos anos a Praça do Giraldo tornou-se a principal praça da cidade, conhecida então por  Praça Grande. De um lado está a Igreja de Santo Antão (1557) fundada pelo Cardeal-Infante D. Henrique, e do outro situam-se os Paços do Conselho (Câmara Municipal). Havia também o pelourinho, a “Casa de Ver o Peso” (que verificava se os pesos e medidas não eram falsificados), os Estáus da Coroa (estalagem real) e a fonte. À volta da praça, as lojas serviam  e servem aos moradores do local.

Esta praça assistiu a muitos acontecimentos da História da cidade. Festas, torneios de cavaleiros  (as justas) e  as touradas; aí também se fizeram os célebres  e tristes  autos-de-fé.

Ainda hoje essa  é a principal Praça da cidade de Évora, como o era há vários séculos, quando a cidade começou a crescer.

Fonte Coroada

Monumental fonte construída pelo arquiteto Afonso Álvares, em 1571, no reinado de D. Sebastião.

Vejam os próximos posts sobre Évora.

Até.

Read Full Post »

Que tal fazer uma viagem no tempo para conhecer um lugar onde romanos, árabes e portugueses construíram uma cidade monumental?

Começando pelo Templo Romano.  O centro da cidade romana, o lugar mais importante para eles, chamava-se Forum. Era nesse lugar que os romanos tinham o seu principal templo, assim como os locais onde se exercia a administração e a justiça. Este era o lugar mais alto da Ebora Liberalitas julia, como os romanos  a chamavam .

Durante muito tempo foi chamado de Templo de Diana, pois dizia-se que era dedicado à deusa romana da caça. Hoje pensa-se que esse templo foi construído há quase dois mil anos para servir de culto ao imperador. Lembrem-se que os romanos, nessa época, adoravam vários deuses e também prestavam culto aos seus imperadores.

Este templo estava rodeado de lojas e o chão da praça era de mármore. Envolvendo o templo romano, havia um bonito espelho d’água, assim conta o guia. Hoje só vemos ruínas do que os romanos construíram no Séc. I, e os vestígios do pequeno lago em forma de U que o rodeava estão soterrados debaixo da calçada.  Ao longo dos tempos, este templo serviu de torre militar e até de talho. No ano de 1870, os eborenses resolveram limpar o templo de tudo que não lhe pertencesse de origem. Fizeram obras e hoje vemos o monumento mais conhecido da cidade de Évora, Portugal.

Com a queda do Império Romano, há cerca de 1600 anos, os povos “bárbaros” ocuparam grande parte da Europa. Os Visigodos se instalaram na Península Ibérica com um reinado de quase 300 anos. No Séc. VIII chegaram os árabes, e no Séc. XII formou-se o reino de Portugal. Évora foi conquistada por Giraldo Sem Pavor e depois foi entregue ao  rei D. Afonso Henrique. Tornando-se assim uma cidade cristã. Ora, nessa época o monumento principal e central de uma  cidade cristã  era a catedral.


A Catedral de Évora foi construída entre 1283 e 1308.  Naquela época todo trabalho era feito com a força dos braços. No exterior da catedral observa-se as estátuas dos homens que enfeitam o portal. Os apóstolos, com livros sagrados nas mãos, recebem quem entra. Na base de cada apóstolo pequenas esculturas contam histórias.

Naquele tempo, as pessoas, na sua maioria, não sabia ler e por isso a Igreja Católica educava a população mandando esculpir histórias nas pedras dos templos, como se fossem lições. No interior da igreja, em cima, à direita, entre os pequenos arcos, pode-se observar uma estátua. É o busto do arquiteto da catedral que exibe duas letras, C E, que em latim quer dizer Constructor Edit, ou seja, o construtor que fez.   Muito interessante!

A catedral de Évora tem vários estilos e muitos espaços, sinal de muitas obras ao longo dos tempos. Pode-se ver o “Tesouro da Sé” que contém pinturas e joias em prata e ouro, e também, o claustro onde está sepultado o bispo fundador, D. Pedro.

Em breve mais post sobre Évora.

Até.

Read Full Post »