Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Estátuas’

Hauptbahnhof  - Viena

Hauptbahnhof – Viena

A viagem para Bratislava começou nesta estação, em Viena. A cidade pode ser visitada em um dia, mas para conhecer os arredores e os museus é melhor ficar uns três dias.

Aproveitei para conhecer o máximo em apenas um dia, porque a viagem para a Itália estava marcada! Veneza ficaria  para os últimos dias da viagem.

Bratislava me surpreendeu! De Viena até a estação de trem de Bratislava é um pulo (uns 60 km). Além de visitar as principais atrações, percorri  ruas com várias lojas, boutiques, restaurantes… e os preços comparados com os de Viena são bem atraentes!

Bratislava

Pra  onde se olha tem uma estátua! É verdade!

Foto by Gina Moraes.

Essa praça enorme é ponto de encontro de moradores. Alguns sentam nas cadeiras para um bate papo ou para ler o jornal do dia.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

O transporte na cidade: sobre trilhos ou ônibus.

Foto by Gina Moraes.

Este leva turistas para visitar o castelo de Bratislava.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Detalhes da fachada

DSC01016

Detalhes – a águia dourada.

Foto by Gina Moraes.

Detalhes – brasão e estátuas.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Foto by Gina Moraes.

Mais algumas curiosidades de “Bratis”, como é carinhosamente chamada por alguns companheiros de viagens,rs!

Em frente a Igreja e Mosteiro dos Capuchinho:

Bratislava

Estátua na entrada do Portão de S. Miguel.

Bratislava by Gina Moraes.

Bares e restaurantes no centro da Cidade Velha.

Bratislava by Gina Moraes.

A cerveja eslovaca é apreciada pelos turistas que visitam a cidade.

Bratislava by Gina Moraes.

Praça da Antiga Câmara Municipal – fonte

Bratislava by Gina Moraes.

Bratislava by Gina Moraes.

Ao lado da Antiga Câmara uma feirinha que vende “de um tudo” !

Foto Gina Moraes.

Sabonetes com aromas variados!

Foto by Gina Moraes.

Bordados, lindos! Aproveite para levar uma lembrancinha de Bratislava. Tem objetos feitos de madeira.

Foto by Gina Moraes.

Mais uma atração  situada nos arredores de Bratislava – o Castelo de Devin,  encravado no alto de uma colina.

Castelo de Devin - Foto Eduardo Vessoni/UOL

Castelo de Devin – Foto Eduardo Vessoni/UOL

E a famosa igreja de cor azul! Mais conhecida como Igreja Azul, chama-se Igreja de Santa Isabel , tem a sua fachada  decorada com  tijolos esmaltados, além de  mosaicos e cerâmicas pintadas.

Igreja Azul - Bratislava. Foto Inorbeterrarum.

Para mim foi uma  agradável surpresa conhecer Bratislava. Se você gostou dessa pequena, mas agradável cidade, comente. Dê sua opinião sobre essa cidade, que agora não está tão desconhecida!

Aguarde mais fotos de Bratislava no próximo post!

Anúncios

Read Full Post »

Bratislava by Gina Moraes.

Continuando a visita a Bratislava cheguei ao Portão de São Miguel.

Esse é o Marco Zero – está localizado embaixo do Portão  e nele estão as distâncias, em quilômetros, de várias cidades do mundo. Buenos Aires, por exemplo, está distante  apenas 11.835 km de Bratislava!

Bratislava by Gina Moraes

Igreja e Mosteiro dos Capuchinhos – dedicada a Santo Estêvão da Hungria, fica localizada próxima ao castelo.

Bratislava by Gina Moraes

Foi consagrada em 1717 e caracteriza-se pela sua decoração simples.  Uma estátua de Santo Estêvão está localizada acima do portal principal. Na frente da igreja está uma coluna praga dedicada à Virgem Maria,  desde 1723.

Bratislava by Gina Moraes

Interior da igreja.

Bratislava by Gina Moraes

Um das estátuas espalhadas pelo centro histórico de Bratislava. São atrações turísticas da cidade.

Bratislava by Gina Moraes

Praça Hviezdoslav.

Bratislava by Gina Moraes

O velho Teatro Nacional Eslovaco – edifício neo renascentista situado na cidade antiga, ao final da Praça Hviezdoslav.

Bratislava by Gina Moraes

Dentre outras esculturas, esse é outro personagem espalhado pelas ruas de Bratislava. Também disputado pelas máquinas fotográficas,rs! Chamava-se Schöne Nazi, provavelmente um débil mental que saudava as pessoas e seu gesto serviu de inspiração para mais uma estátua.

Bratislava by Gina Moraes

Para quem gosta de experiências novas…rs,  a proposta desse clube -bar é fazer um Baile de Máscaras, onde você se transforma em outra pessoa, com outra identidade, todo o pessoal com máscaras… e os visitantes também! Nome do lugar? Masquerade.

Bratislava by Gina Moraes

“Cumil” – esta estátua de bronze  representa o mais famoso personagem de Bratislava. Há várias hipóteses sobre quem é ele. Um soldado? Um espião? Outros dizem que representa um operário, no seu momento de descanso, observando a rua e as pessoas que passam. Há quem diga, que também aproveitava para “assistir as senhoras”  (olhar as pernas das mulheres)! O fato é que todo mundo quer tirar uma foto com essa figura!

Cumil

Você imagina que está frente a frente com um hotel? Pois esse é o Hotel Gallery Spirit.

Hotel Spirit - Minube.cpm

Hotel Spirit – Minube.com

Edifício da sede da Rádio Eslovaca – em forma de pirâmide invertida.

Approaching Bratislava Castle

Approaching Bratislava Castle

Vista da cidade a partir do restaurante, na Ponte Nova.

Bratislava_2008_01

Foto: wikimedia.org

Imagem: Chess.com

Imagem: Chess.com

Ao andar no centro da cidade você pode ser flagrado por um “paparazzi”!!!rs. Relaxe, este é mais um personagem que você vai encontrar em Bratislava!

photographer-statue-bratislava

photographer-statue-bratislava

O gigantesco Slavín,um  memorial de guerra, é visível de grande parte da cidade. Está situado em uma colina com vista para o castelo e  comemora a libertação da cidade pelo Exército Vermelho, em abril de 1945. É também um cemitério para 6.845 soldados soviéticos que morreram durante as batalhas para a cidade e região, que teve lugar nas semanas finais da II Guerra Mundial.

Slavin - the memorial and the graveyard of the Soviet Army

Slavin – the memorial and the graveyard of the Soviet Army.

A escala do memorial é impressionante: o obelisco central tem mais de 39 metros de altura, e é coberto por uma estátua de 11 metros de altura (por Alexander Trizuljak) de um soldado soviético vitorioso carregando uma bandeira. Em torno da base estão gravadas inscrições  das cidades eslovacas libertadas pelo Exército Vermelho durante o seu avanço para o oeste, em 1944 e 1945. Foi construído entre 1957 e 1960. Apesar de ficar um pouco mais afastado vale a pena uma visita.

Até o próximo  post!

Read Full Post »

Read Full Post »

A chegada a Paris foi uma festa! Ao chegarmos no Louvre a emoção transbordou. Tantos planos, tantos sonhos e eis que ele estava bem ali na nossa frente, alguns passos  apenas… Ali está a história da humanidade contada através de suas obras de artes.

Transpondo o corredor chegamos ao “cour carrée”.

A obra de Ieoh Ming Pei, na  área pública do museu, é o que mais chama atenção: a Pirâmide de Vidro, em meio aos prédios clássicos.

Não só em Paris como no Egito, a” Pirâmide” sempre despertou  a curiosidade das pessoas! Como foram feitas as pirâmides dos faraós ? Como a pirâmide de vidro se sustenta? Arquitetura, matemática, engenharia… nisso os  egípcios eram “feras”! Muitos séculos depois vem um arquiteto chinês com esse pensamento:

“O sólido é para os mortos, mas o transparente é para os vivos”. (I. M. Pei)

Dizem que ela foi construída com 673 painéis de vidro (603 losangos e 70 triângulos). Já se especulou que o número é 666, o número da besta.

Lendas à parte, a pirâmide do Louvre une o clássico ao ultra-moderno. Apesar de alguns acharem que a  idéia estava muito avançada e que não combinava com o lugar, a pirâmide agradou e atualmente  os visitantes apreciam a justaposição de estilos.

“A Pirâmide e o átrio subterrâneo, debaixo dela, foram criadas por causa de uma série de problemas com a entrada principal (original) do Louvre, que já não podia lidar com um número enorme de visitantes em uma base diariamente. Os visitantes que entram através da pirâmide podem descer ao átrio espaçoso, em seguida, voltar a subir para os principais edifícios do Louvre”. (wikipedia)

E pensar que em 1190 o Louvre era uma fortaleza construída para defender Paris, a oeste, contra os ataques dos Vikings. No subsolo estão as marcas da antiga fortaleza medieval. Minha companheira de viagem, agora arquiteta, registrava tudo no seu bloquinho, rs.

Chegando a ala das pinturas você pode admirar obras de célebres pintores. É a segunda maior coleção do mundo com quase 12 mil peças. Claro que não dá pra visitar todas elas de uma única vez. Nem fotografá-las, rsrs!  Estava com uma máquina digital e uma com filme APS. Mesmo assim não deu “pro gasto”! rsrs. Da próxima vez vou levar cartão de memória extra, pra não perder nenhum detalhe! Vale a dica pra você.

As tapeçarias são de uma riqueza e beleza, que ao visitante  só resta admirá-las.

Andar por esses suntuosos salões é viajar no tempo…

Vejam o Louvre numa sequência de fotos, que despertará o desejo de conhecê-lo  de perto!

O Jardim das Estátuas

Do Louvre seguimos para explorar os arredores. Até o próximo post.

Read Full Post »

Read Full Post »

Ao chegar na cidade deparei com essa placa e claro que a emoção bateu forte!

Há controvérsias quanto a origem do nome  Queluz. Alguns acreditam que  deriva das junções das palavras árabes (fundo de vala apertado) e Llûs (amendoeira), que significa o Vale da Amendoeira (Qa Al Luz). Mas há quem atribua esse nome à montanha da luz, hoje chamada Monte Abraão, onde o Sol era adorado. E ainda há quem atribua a origem do nome à adoração local do deus Lu ou Lou dos antigos Lusitanos.

Inclusive  acredita-se que o nome Lusitânia tem por base as palavras Citânia de Lu. Com certeza a ocupação humana nessa área,  comprovadamente atestada por diversos monumentos e vestígios, remonta ao final do período Neolítico, há 3 ou 4 milênios A.C.

A cidade é banhada pelo Rio Jamor. (Fonte: wikipédia)

Considerado Monumento Nacional, o Palácio Nacional de Queluz é o terceiro mais visitado de Portugal. Está aberto a visitação nos seguintes horários:

Atualizado em 12 de Março de 2010
Palácio:
De 4ª feira a 2ª feira das 9.00 h às 17.00 hJardins:
De 4ª feira a 2ª feira das 9.00 h às 17.00 h (de Janeiro a Abril e de Outubro a Dezembro).
Das 9.00 h às 18.00 h (de Maio a Setembro)

Última admissão: 16.30 h
Encerra à terça-feira e seguintes feriados:
1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1º de Maio e 25 de Dezembro.

Tempo médio de visita ao Palácio e Jardim: 1h 30m

Ingresso: Palácio e Jardins: 5 €; Jardins: 3 €.

O Palácio  foi construído em 1747 por ordem do Infante D. Pedro III.

O corpo principal do Palácio só foi concluído após o casamento de D. Pedro com D. Maria Francisca, que mais tarde seria a rainha D. Maria I, em 1758. Tanto os salões do Palácio  quanto os seus jardins  foram  enfeitados com ornamentos barrocos, tornando-o um exemplar excelente  do estilo de vida da sociedade barroca setecentista.

Embora muito menor é comparado frequentemente  com o Palácio de Versailles (França).  O Palácio Nacional de Queluz , no entanto, preserva uma forte identidade portuguesa e continua a ser um dos cenários preferidos do Governo para recepções oficiais e reuniões de Chefes de Estado internacionais. (Fonte: http://www.guiadacidade.pt)

Além do palácio, a cidade possui vários pontos de interesse como fontes e chafarizes: Da Calçada da Bica da Costa, Carranca, D.Carlos I, Bicas e Fonte Chafurdo Massamá, Chafariz Mousinho Albuquerque, Bica do Anjo (Pendão), Chafariz do Pendão e Chafariz Mussamá.

Arcos no centro da cidade .

Placa indicando as direções do Monte Abraão, Belas e  Massamá.

Situada em frente ao palácio, a Pousada D. Maria I ocupa as instalações reservadas, antigamente,  para a guarda real da corte. O  edifício  chamado de  “Torre do Relógio”  servia de aposentos para o pessoal a serviço da Corte Real.

O Palácio Nacional situa-se logo à saída do principal eixo rodoviário da linha de Sintra, o IC 19, no desvio para Queluz.

Destaca-se ainda, para além do valor arquitetônico e patrimonial, a beleza dos jardins e larga extensão de mata que o cerca. Passe o mouse sobre a foto para ver os créditos.

Vista aérea do Palácio Nacional de Queluz – foto Luís Pavão.

Pavilhão Robillion – Escadaria dos Leões – Fonte:  wikipédia.

Jardim de Malta ou Jardim dos  Azereiros –  Foto Luís Pavão.

A designação dada a este espaço deriva do fato de D. Pedro III ter sido, como todos os senhores da Casa do Infantado, Grão-Mestre da Ordem de Malta. (Fonte: pnqueluz.imc-ip.pt)

Jardim Neptuno ou Jardim Grande – Foto Henrique Ruas.

Em 1758 era estruturado o sistema hidráulico, em 1765 eram desenhados os parterres de broderie em buxo que estruturavam este jardim. Da Holanda, eram importadas quinhentas árvores para o jardim e parque (castanheiros e ulmeiros, entre outras), bem como trezentas pirâmides de buxo e murta. (Fonte: pnqueluz.imc-ip.pt)

Vista ao fundo do Canal dos Azulejos.

Com 110 metros de extensão, as paredes interiores do Canal, bem como o arco de suporte e a escada de acesso ao rio, são revestidos por painéis de azulejos azuis e brancos, executados por João Antunes e pagos em 1756. Também Manuel da Costa Rosado pintou azulejos para o Canal em 1775 e 1776.

Canal dos Azulejos – Fonte wikipédia.

No próximo post continuaremos nossa visita ao Palácio Nacional de Queluz.

Até.

Read Full Post »